Salada de Cinema

Notícias, entrevistas, perfis e muito mais de tudo que acontece no mundo do cinema.

Salada de Cinema
Perfis

Audrey Hepburn, uma bonequinha

por Paula Lopes comentários

Nome: Audrey Kathleen Hepburn-Ruston
Data de nascimento: 4 de maio de 1929, em Ixelles, Bélgica
Três filmes essenciais: Bonequinha de Luxo, A Princesa e o Plebeu e Sabrina.

Salada de Cinema

Mundialmente conhecida e lembrada por seu papel em “Bonequinha de Luxo”, Audrey Hepburn não teve vida fácil antes de seu início na carreira artística. Nascida na Bélgica a 04 de maio de 1929, a atriz viveu na Holanda durante a temida Segunda Guerra Mundial, tendo sido vítima dos infortúnios da invasão nazista no país.

Com o fim da guerra, Audrey mudou-se para a Inglaterra, onde deu continuidade às suas aulas de dança e estreou no documentário “Dutch in Seven Lessons”. Foi, no entanto, na França que a atriz recebeu sua primeira chance para o sucesso. Ao conhecer a escritora Collete, que fazia seleções para o espetáculo “Gigi”, que seria encenado na Broadway, Audrey conseguiu abocanhar o papel principal. Depois disso, passou a ser aposta para um futuro brilhante em Hollywood.

Já em 1953 gravou o filme que lhe daria seu único Oscar de Melhor atriz: “A princesa e o plebeu”. No ano seguinte, ela seria indicada mais uma vez, pelo filme “Sabrina”, que infelizmente não lhe rendeu mais uma estatueta.

Depois de alguns anos tentando engravidar de seu marido Mel Ferrer e gravando longas como “Cinderela em Paris”, “Amor na tarde” e “Uma cruz a beira do abismo” (este último lhe trouxe a terceira indicação ao bonequinho de ouro), Audrey fez, em 1961, sua personagem mais famosa: Holly Golightly, em “Bonequinha de Luxo” (Breakfast at Tiffany’s). Em 1963, a atriz deu vida a Eliza Doolittle, no musical “My fair Lady”, que, no entanto, gerou polêmica ao não ter contado com a voz de Audrey nas canções, sendo dublada.

Com estes papéis, foram- se os mais famosos filmes de Audrey Hepburn, que passou seus próximos anos entre divórcios e novos relacionamentos, e gravando “Como roubar um milhão de dólares”, “Um caminho a dois”, “Um clarão nas trevas”, “Robin e Marian” e “Muito riso e muita alegria”.

Ao final de sua vida, decidiu dedicar-se à Unicef como embaixadora. Audrey fez muitas viagens e fez questão de agradecer à instituição que tinha lhe salvado a vida durante a Segunda Guerra Mundial.

Foi só em 1993 que a grande estrela do cinema mundial veio a falecer de câncer, aos 63 anos, deixando uma linda história e milhares de fãs apaixonados por sua doçura e dedicação.

Studio na Colab55
Paula Lopes
Paula Lopes

Manteiga derretida incurável, ainda acredita nos Jeff Daniels que saem das telas para as Cecílias da vida real.

Veja todos os posts de Paula Lopes
Comentários
Follow my blog with Bloglovin