Salada de Cinema

Notícias, entrevistas, perfis e muito mais de tudo que acontece no mundo do cinema.

Salada de Cinema
Na Rua

Caixa Belas Artes promove a mostra Cacá Diegues – Cineasta do Brasil

por André Sobreiro comentários

Orfeu 1

A Caixa Belas Artes promove, entre os dias 7 e 20 de setembro a mostra Cacá Diegues – Cineasta do Brasil. No período serão exibidos curtas e longa-metragens do diretor, comemorando seus 55 anos de carreira.

Serviço:
Mostra “Cacá Diegues – Cineasta do Brasil”

Data: de 07 a 20 de setembro de 2017
Local: Caixa Belas Artes – Sala Aleijadinho
Endereço: Rua da Consolação, 2423 (http://www.caixabelasartes.com.br/)
Telefones: (11) 2894-5781
Ingressos: R$10,00 inteira, R$5 meia e R$35,00 passaporte para todos os filmes da mostra
Bilheteria: Das 13h até 20 minutos após o início da última sessão.
Lotação: 144 lugares
Horários: 16h (todos os dias), 18h30 (todos os dias) e 23h30 (aos sábados)

Confira a programação.

07 de setembro – quinta-feira
16h – Ganga Zumba (100 min)
18h30 – Escola de Samba, alegria de viver (20 min), seguido do debate O Cinema de Cacá Diegues, com o cineasta homenageado e a curadora Silvia Oroz. Mediação da jornalista Flávia Guerra.

08 de setembro – sexta-feira
16h – A grande cidade (90 min)
18h30 – Xica da Silva (107 min)

09 de setembro – sábado
16h – máster class O Brasil através de Cacá Diegues, com a curadora Silvia Oroz (120 min)
18h30 – Bye Bye Brasil (100 min)
23h30 – Tieta (140 min)

10 de setembro – domingo
16h – Deus é brasileiro (110 min)
18h30 – Chuvas de verão (93 min)

11 de setembro – segunda-feira
16h – Escola de samba, alegria de viver (20 min) + Oito universitários (5 min) + A oitava Bienal (20 min) + Cinema Íris (9 min)
18h30 – Os herdeiros (110 min)

12 de setembro – terça-feira
16h – Quilombo (114 min)
18h30 – Ganga Zumba (100 min)

13 de setembro – quarta-feira
16h – Um trem para as estrelas (103 min)
18h30 – O maior amor do mundo (106 min)

14 de setembro – quinta-feira
16h – Um séjour (98 min)
18h30 – Joanna Francesa (110 min)

15 de setembro – sexta-feira
16h – Dias melhores virão (92 min)
18h30 – Veja esta canção (110 min)

16 de setembro – sábado
16h – Deus é brasileiro (110 min)
18h30 – Bye Bye Brasil (100 min)
23h30 – Nenhum motivo explica a guerra (150 min)

17 de setembro – domingo
16h – Xica da Silva (107 min)
18h30 – A grande cidade (90 min)

18 de setembro – segunda-feira
16h – Orfeu (115 min)
18h30 – Quando o carnaval chegar (90 min)

19 de setembro – terça-feira
16h – Veja esta canção (110 min)
18h30 – Um trem para as estrelas (103 min)

20 de setembro – quarta-feira
16h – O maior amor do mundo (106 min)
18h30 – Chuvas de verão (93 min)

FILMES

LONGAS-METRAGENS DIRIGIDOS POR CACÁ DIEGUES

GANGA ZUMBA (1964)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues, Leopoldo Serran e Rubem Rocha Filho; Baseado no livro “Ganga Zumba” de João Felício dos Santos; Fotografia: Fernando Duarte; Montagem: Ismar Porto; Direção de Arte: Regis Monteiro; Música: Moacir Santos; Supervisão de Produção: J.P. de Carvalho; Produtor Associado: Luiz Fernando Goulart; Distribuição: Jarbas Barbosa/Copacabana Filmes; Produção: Carlos Diegues; Elenco: Antonio Pitanga, Lea Garcia, Eliezer Gomes, Luiza Maranhão, Jorge Coutinho, Cartola e Tereza Raquel.
Duração: 100 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: No Nordeste brasileiro, entre os séculos 16 e 17, alguns escravos de um engenho de cana-de-açúcar tramam uma fuga para o Quilombo dos Palmares, uma comunidade de negros fugidos da escravidao, na Serra da Barriga. Entre eles, encontra-se o jovem Ganga Zumba (Antonio Pitanga), futuro líder daquela república revolucionária, a primeira de toda a América.

A GRANDE CIDADE (1966)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues e Leopoldo Serran; Fotografia:Fernando Duarte; Câmera: Dib Lutfi; Montagem: Gustavo Dahl; Música: Heckel Tavares, Ernesto Nazareth, Villa Lobos, Zé Kéti e outros; Produção Executiva: Zelito Viana;Produção: Mapa Filmes e Carlos Diegues; Distribuição: Di Film; Elenco: Anecy Rocha, Antonio Pitanga, Leonardo Villar, Joel Barcellos, Hugo Carvana, Maria Lucia Dahl e Jofre Soares.
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Vinda do Nordeste, Luzia (Anecy Rocha) chega ao Rio de Janeiro a procura de seu noivo, Jasão. Na busca, Luzia conhece Calunga, malandro carioca que a introduz a cidade, e Inácio, também nordestino, que só pensa em voltar a sua terra. Ela descobre que Jasão mora numa favela e que havia se tornado um temido assaltante. Antes que possa salvá-lo de seu destino, ela e Jasão acabam vítimas dos conflitos e da violência de uma cidade grande.

OS HERDEIROS (1969)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues; Fotografia e Câmera: Dib Lutfi; Montagem: Eduardo Escorel; Direção de Arte:Luiz Carlos Ripper; Música: Villa Lobos e canções populares brasileiras;Produtor Executivo: Jarbas Barbosa; Produção: Carlos Diegues, Jarbas Barbosa e Luis Carlos Barreto; Distribuição: Condor Filmes; Elenco: Sergio Cardoso, Odete Lara, Paulo Porto, Mario Lago, Isabel Ribeiro, Hugo Carvana, André Gouveia, Ferreira Gullar, Jean Pierre Leaud, com participação especial de Dalva de Oliveira, Nara Leão e Caetano Veloso.
Duração: 110 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: A saga de uma família brasileira, de 1930 a 1964, ano do golpe militar. Jorge Ramos (Sérgio Cardoso) é um jornalista ambicioso que se casa por interesse com a filha de um arruinado fazendeiro de café. Com a volta da democracia, em 1946, ele retorna a cidade e se transforma, aos poucos e as custas de constantes traições, em um político poderoso. Até que seu próprio filho vinga suas vítimas, aliando-se aos militares e traindo o pai.

QUANDO O CARNAVAL CHEGAR (1972)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues, Hugo Carvana e Chico Buarque; Fotografia: Dib Lutfi; Montagem: Eduardo Escorel; Música: Chico Buarque; Produção Executiva: Zelito Viana; Produção: Mapa Filmes e Carlos Diegues; Distribuição: Livio Bruni; Elenco: Chico Buarque, Nara Leão, Maria Bethânia, Hugo Carvana, Ana Maria Magalhães, José Lewgoy, Wilson Grey, Elke Maravilha e Antonio Pitanga.
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: O empresário de um grupo de cantores sem sucesso (Chico Buarque, Nara Leao e Maria Bethânia) consegue um contrato para que eles façam uma apresentação em homenagem a um rei que chegará a cidade para o Carnaval. Discussões internas, romances inesperados e desistências impedem que o espetáculo se realize. Mas os artistas voltam a se juntar, apresentando-se em shows mambembes.

JOANNA FRANCESA (1973)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues; Fotografia: Dib Lutfi;Montagem: Eduardo Escorel; Direção de Arte: Anísio Medeiros; Figurinos: Teresa Nicolau, Pierre Cardin veste Jeanne Moreau; Música: Chico Buarque e Roberto Menescal; Produção Executiva: Nei Sroulevich; Produção:Zoom Cinematográfica; Distribuição: R. F. Farias; Elenco: Jeanne Moureau, Carlos Kroeber, Helber Rangel, Ney Sant’ Anna, Rodolfo Arena, Lelia Abramo e Pierre Cardin.
Duração: 110 minutos
Classificação indicativa: 18 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Em 1930, Jeanne (Jeanne Moreau) é a dona de um prostíbulo em São Paulo. Um cliente alagoano, apaixonado por ela, a leva para sua fazenda de cana-de-açúcar, onde Jeanne entra em contato com costumes que acabam por arrebatá-la a um mundo ético e cultural que nunca havia conhecido. Ela acaba assumindo a liderança da família, que está em plena decadência.

XICA DA SILVA (1976)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues e João Felício dos Santos; Montagem: Mair Tavares; Direção de Arte: Luiz Carlos Ripper; Música: Roberto Menescal e Jorge Bem; Fotografia: José Medeiros; Produtor Executivo: José Oliosi; Co-produção: Embrafilme e Helio Ferraz; Produtor: Jarbas Barbosa; Distribuição: Embrafilme; Elenco: Zezé Motta, Walmor Chagas, Altair Lima, Elke Maravilha, Stephan Nercessian, Rodolfo Arena e José Wilker.
Duração: 107 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Na segunda metade do século 18, a escrava negra Xica da Silva (Zezé Motta) torna-se o centro das atenções no Distrito Diamantino, onde estão as minas mais ricas do país. Joao Fernandes (Walmor Chagas), representante da Coroa Portuguesa, apaixona-se por Xica e a transforma na Rainha do Diamante, satisfazendo todos os seus desejos extravagantes. Alertado pelos inimigos do casal, o rei de Portugal manda um emissário a fim de impedir que cresça o poder de Xica na colônia.

CHUVAS DE VERÃO (1978)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues; Fotografia: José Medeiros; Montagem: Mair Tavares; Direção de Arte: Mauricio Sette; Música: Joel do Nascimento e outros; Direção de Produção: Luiz Carlos Lacerda; Produção Executiva: Luiz Fernando Goulart; Co-Produção: Embrafilme e Carlos Diegues; Produção: Alter Filmes (Helio Ferraz); Distribuição: Embrafilme; Elenco: Jofre Soares, Miriam Pires, Daniel Filho, Marieta Severo, Paulo Cesar Pereio, Jorge Coutinho, Rodolfo Arena, Roberto Bonfim, Sady Cabral, Lourdes Mayer, Carlos Gregório, Gracinda Freire, Cristina Aché.
Duração: 93 minutos.
Classificação indicativa: 16 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Ao se aposentar, Afonso (Jofre Soares) decide viver com tranquilidade no subúrbio onde mora. Em sua primeira semana de ócio, em um tórrido verão, Afonso se envolve com os problemas de sua filha, de seus amigos e de sua vizinhança, aprendendo com eles a viver novamente. Até sua convivência com Isaura (Miriam Pires), vizinha de tantos anos, se modifica. Os dois iniciam uma relação de amizade, amor e respeito.

BYE BYE BRASIL (1979)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues e Leopoldo Serran; Fotografia: Lauro Escorel; Montagem: Mair Tavares; Diretor de Arte: Anísio Medeiros; Música: Chico Buarque, Roberto Menescal e Dominguinhos; Diretor de Produção: Marcos Altberg e Nair Tavares; Produtores Associados: Walter Clark, Lucíola Vilella, Bruno Barreto, Carlos Braga; Produção Executiva: Lucy Barreto; Produção: Luiz Carlos Barreto e Lucy Barreto; Distribuição: Embrafilme;Elenco: José Wilker, Betty Faria, Zaira Zambelli, Fábio Júnior e Príncipe Nabor.
Duração: 100 minutos
Classificação indicativa: 18 anos
Formato de exibição: 35 mm
SINOPSE: Salomé (Betty Faria), Lorde Cigano (José Wilker) e Andorinha são três artistas ambulantes que cruzam o Nordeste do Brasil com a Caravana Rolidei, fazendo espetáculos para camponeses, cortadores de cana, índios etc., sempre fugindo da concorrência da televisão. A eles se juntam o sanfoneiro Ciço (Fabio Junior) e sua mulher Dasdô (Zaira Zambelli), com os quais a Caravana Rolidei atravessa a Amazônia até chegar a Brasília, vivendo diversas aventuras pelas estradas do país.

QUILOMBO (1984)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues – inspirado nos livros de João Felício dos Santos (“Ganga Zumba”) e Décio de Freitas (“Palmares”); Fotografia: Lauro Escorel; Câmera: Walter Carvalho e Pedro Farkas; Montagem: Mair Tavares; Direção de Arte: Luiz Carlos Ripper; Música: Gilberto Gil; Diretor de Produção: Marco Altberg; Produtor Executivo: Augusto Arraes; Co-produção: Embrafilme e Gaumont (França);Produção: CDK; Distribuição: Embrafilme; Elenco: Antônio Pompeu, Tony Tornado, Antonio Pitanga, Zezé Motta, Vera Fisher, Maurício do Valle, Daniel Filho.
Duração: 114 minutos
Classificação indicativa: livre
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Em torno de 1650, um grupo de escravos se rebela num engenho de Pernambuco e ruma ao Quilombo dos Palmares, onde uma nação de ex-escravos fugidos resiste ao cerco colonial. Entre eles, está Ganga Zumba (Tony Tornado), príncipe africano e futuro líder de Palmares. Mais tarde, seu herdeiro e afilhado, Zumbi (Antônio Pompeu), contestará as ideias conciliatórias de Ganga Zumba, enfrentando o maior exército jamais visto na história colonial brasileira.

UM TREM PARA AS ESTRELAS (1987)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro:Carlos Diegues e Carlos Lombardi; Fotografia: Edgar Moura; Montagem: Gilberto Santeiro; Direção de Arte: Lia Renha; Figurinos: Viviane Soares Sampaio; Música: Gilberto Gil; Produção Executiva: Rodolfo Brandão; Coprodução: Embrafilme, Chrysalide Filmes (França) e Metropolis (Suíça); Produção: CDK; Distribuição:Embrafilme; Elenco: Guilherme Fontes, Ana Beatriz Wiltgen, Taumaturgo Ferreira, Daniel Filho, Betty Faria.
Duração: 103 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Eunice, namorada de Vinicius (Guilherme Fontes), jovem e promissor músico que vive no subúrbio do Rio de Janeiro, desaparece depois de uma noite de amor. Em sua busca da namorada, ele vive uma verdadeira odisséia urbana, atravessando a cidade, sua violência, miséria e injustiças, sempre envolvido pela música.

DIAS MELHORES VIRÃO (1989)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Antonio Calmon, Vicente Pereira, Vinicius Vianna e Carlos Diegues, baseado na história original de Antonio Calmon; Fotografia: Lauro Escorel; Montagem: Gilberto Santeiro; Direção de Arte: Lia Renha; Figurinos: Emília Duncan;Música: Rita Lee e Roberto de Carvalho; Som: Jorge Saldanha; Produtores Executivos: Renata Almeida Magalhaes e Angelo Gastal; Co-produção: CDK, Sky Light e Metropolis (Suíça); Produção: Paulo Cesar Ferreira (Cininvest); Distribuição: Marco Aurélio Marcondes; Elenco: Marilia Pera, Paulo José, Jose Wilker, Zezé Motta, Jofre Soares, Marilu Bueno, Aurora Miranda, Paulo César Pereio.
Duração: 92 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Maryalva (Marília Pera), dubladora de seriados para a TV, tem o sonho de se tornar uma grande estrela em Hollywood e não mede esforços para realizar seu projeto. As voltas com seu grupo de dublagem e com um amante casado, Marialva cria toda sorte de confusões e mistura realidade e fantasia. Em seus devaneios, ela conversa com o fantasma de um namorado morto e a estrela da comédia americana que ela dubla.

VEJA ESTA CANÇÃO (1994)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues, Euclides Marinho, Rosane Svartman, Fabiana Egrejas, Miguel Faria, Walter Lima Jr., Isabel Diegues; Fotografia: José Guerra, José Tadeu, Alexandre Fonseca e Leonardo Bartucci; Câmera: Gustavo Hadba; Diretor Assistente: Vicente Amorim; Montagem: Mair Tavares e Karen Harley; Direção de Arte: Paulo Flacksman, Toni Vanzolini; Som: Jorge Saldanha, Heron Alencar e Cristiano Maciel; Música: Milton Nascimento (tema de abertura), Jorge Ben, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Chico Buarque; Produtor Associado: Miguel Faria Jr.; Produção Executiva: Zelito Viana; Co-produção:Riofilme; Produção: Mapa Filmes e TV Cultura; Distribuição: Art Filmes; Elenco: Leon Góes, Carla Alexandra, Floriano Peixoto, Jacqueline Laurence, Debora Bloch, Pedro Cardoso, Catarina Abdala, Cassiano Carneiro, Adriana Zanyelo, Chica, Lucio Andrey, Carlos Diegues e o grupo “Nós do Morro” do Vidigal, Fernanda Montenegro, Emilio de Melo, Fernando Torres, Chico Diaz.
Duração: 110 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Filme em quatro episódios inspirados em grandes canções da música popular brasileira, de Jorge Ben Jor, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Chico Buarque. Cada episódio pertence a um gênero diferente e conta uma história de amor de natureza distinta. Seus temas centrais são os shows em uma churrascaria suburbana, os romances na zona sul do Rio de Janeiro, meninos de rua e a obsessão de um anotador de jogo do bicho.

TIETA DO AGRESTE (1995)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues, João Ubaldo Ribeiro e Antonio Calmon Inspirado no romance “Tieta do Agreste”, de Jorge Amado; Fotografia: Edgar Moura; Câmera: Gustavo Hadba; Diretor Assistente: Vicente Amorim; Montagem: Mair Tavares e Karen Harley; Direção de arte: Lia Renha; Figurinos: Luciana Buarque, Ocimar Versolato veste Sonia Braga; Música: Caetano Veloso; Som: Rolf Pardulla; Produtores Executivos: Telmo Maia e Miguel Faria Jr.; Co-Produtores: Sonia Braga e Carlos Diegues; Co-Produção: UGC (França); Produtor: Bruno Stroppiana e Donald Raynaud; Produção: Sky Light; Distribuição: Columbia; Elenco: Sonia Braga, Marilia Pera, Chico Anysio, Zezé Motta, Claudia Abreu, Leon Góes, Heitor Mello, Patrícia França, Jece Valadão, Debora Adorno, Jorge Amado.
Duração: 140 minutos.
Classificação indicativa: 18 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Aos 17 anos, a adolescente Tieta (Patrícia França) é expulsa pelo pai de Santana do Agreste, na Bahia, por falta de decoro. Vinte e seis anos depois, Tieta (Sônia Braga) volta rica e famosa de São Paulo e é recebida como heroína em sua cidade natal. Seu pai (Chico Anysio) e sua irmã (Marília Pera) tentam explorá-la ao máximo, mas uma repentina paixão pelo sobrinho e a revelação da verdadeira origem de seu dinheiro acabam gerando um novo e definitivo escândalo. O filme baseia-se no famoso livro de Jorge Amado.

ORFEU (1999)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues, colaboração de Hermano Vianna, Hamilton Vaz Pereira, Paulo Lins e João Emanuel Carneiro (baseado na peça Orfeu da Conceição, de Vinicius de Moraes); Fotografia: Affonso Beato; Câmera: Gustavo Hadba; Diretor Assistente: Vicente Amorim; Montagem: Sérgio Mekler; Direção de arte: Clóvis Bueno; Figurino: Emília Duncan; Carnavalesco: Joãosinho Trinta; Música: Caetano Veloso; Som: Mark van der Willigen;Produtor delegado: Flávio R. Tambellini ; Produtor associado: Daniel Filho; Coprodução: Globo Filmes;Produzido por: Renata de Almeida Magalhaes e Paula Lavigne; Produção: Rio Vermelho Filmes; Distribuição: Warner; Elenco: Toni Garrido, Patricia França, Murilo Benício, Zezé Motta, Milton Gonçalves, Isabel Fillardis, Maria Ceiça, Stepan Nercessian, Lucio Andrey, Caetano Veloso.
Duração: 115 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Inspirado na peça “Orfeu da Conceição”, de Vinicius de Moraes, o filme conta a história de amor entre Orfeu (Toni Garrido) e Eurídice (Patrícia França). Mais famoso compositor dos morros do Rio de Janeiro, líder da favela onde mora e de sua escola de samba, Orfeu trabalha nos preparativos para o desfile de carnaval quando conhece Eurídice, recém-chegada a cidade. Os dois se apaixonam perdidamente, provocando ciúme e violência no morro.

DEUS É BRASILEIRO (2002)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: João Ubaldo Ribeiro, Carlos Diegues. Com a colaboração de João Emanuel Carneiro e Renata Almeida Magalhães. Livremente inspirado em conto de João Ubaldo Ribeiro; Produção: Rio Vermelho Filmes / Renata de Almeida Magalhães; Distribuição: Columbia; Som direto: Marcio Câmara; Câmera: Gustavo Hadba; Finalização de Imagem: Gustavo Hadba e Bianca Costa;Colorista: João Theodoro; Efeitos Especiais: Marcelo Siqueira; Edição de Som: Tom Paul; Direção de Produção: Fernando Zagallo e Edu Ramos; Pós-Produção: Bianca Costa; Produção Musical: Chico Neves, Hermano Viana e Sergio Mekler; Arte: Vera Hamburger; Montagem: Sergio Mekler; Fotografia: Affonso Beato;Produção Executiva: Tereza Gonzalez; Co-Produção: Columbia Tristar Filmes do Brasil, Luz Mágica Produções, Teleimage e Globo Filmes; Produtores Associados: Francisco Diegues e Quanta; Produzido por: Renata de Almeida Magalhães; Elenco: Antonio Fagundes, Wagner Moura, Paloma Duarte, Bruce Gomlevsky, Stepan Nercessian, Hugo Carvana, Castrinho, Chico de Assis; Participação especial: Susana Werner, Toni Garrido, e as bandas Cordel do Fogo Encantado e Grupo Caçuá.
Duração: 110 minutos
Classificação indicativa: livre
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Cansado de tantos erros cometidos pela humanidade, Deus (Antônio Fagundes) resolve tirar umas férias dela e descansar em alguma estrela distante. Antes, Ele precisa encontrar um substituto para ficar em Seu lugar e decide procurá-lo no Brasil. Seu guia na busca será o pescador Taoca (Wagner Moura). Juntos, eles rodarão o país em busca do substituto ideal. O filme é uma livre adaptação do conto “O Santo que não Acreditava em Deus”, de João Ubaldo Ribeiro.

O MAIOR AMOR DO MUNDO (2006)
Direção: Carlos Diegues; Roteiro: Carlos Diegues; Produção: Renata Almeida Magalhães; Produção-executiva: Tereza Gonzalez; Direção de fotografia: Lauro Escorel; Direção de arte: Tulé Peake; Figurinos: Marcelo Pies, Bettine Silveira; Som direto: Jorge Saldanha; Edição de Som: Miriam Biderman; Montagem: Quito Ribeiro; Canção Original: Chico Buarque; Direção Musical: Guto Graça Mello;Produção Musical: Vinicius França; Produtor associado: Patrick Siaretta; Co-produção: RB Cinema I Funcine, Lereby Produções, Quanta; Produção: Luz Mágica, Columbia Tri Star Filmes, Globo Filmes; Elenco: José Wilker, Taís Araújo, Sérgio Malheiros, Léa Garcia, Sérgio Britto, Marco Ricca, Deborah Evelyn, Clara Carvalho, Max Fercondini, Anna Sophia Folch; Participação Especial: Guida Vianna, Stepan Nercessian, Hugo Carvana, Silvio Guindane, Raoni Seixas.
Duração: 106 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Antônio, famoso astrofísico brasileiro e professor em uma universidade americana, recebe a notícia de que tem uma doença fatal. Ao retornar ao Brasil para receber uma homenagem oficial, ele descobre a identidade de seus verdadeiros pais e a surpreendente história de amor entre eles.

NENHUM MOTIVO EXPLICA A GUERRA (2006)
Direção: Carlos Diegues e Rafael Dragaud; Roteiro: Rafael Dragaud; Pesquisa: Antônio Venâncio; Produção: Renata Almeida Magalhães e Flora Gil; Produção Executiva: Tereza Gonzalez; Direção de Fotografia: Rodrigo Monte; Imagens Adicionais:Marcão Oliveira; Direção de Fotografia Show: Luis Abramo; Montagem:Joana Ventura; Som Direto: Renato Calaça; Edição de Som e Mixagem: Leleo e Sérgio Ricardo; Coordenação de Produção: Fabio Bruno; 1ª Assistente de Direção: Olívia Rabacov; 2º Assistente de Direção: Raoni Seixas; Controller: Scheila Passamani; Assistente de Contabilidade: Fernando Moreira;Consultoria Jurídica: André Faoro; Eletricista: Marcelo Pecis; Maquinista: Bugalu; Consultoria de pós-produção: Afinal Filmes; Autoração e Menus Interativos: 6D Estúdio; EQUIPE GEGÊ – Produção Executiva: Fafá Giordano e Meny Lopes; Técnico de Som Direto: João Ribeiro; Assistente de Produção:Bárbara Ohana; EQUIPE AFROREGGAE – Produção: José Junior; Assistentes de Produção: Izabel Roizen, JB, Abacate; Pesquisa: Etiene Petrauskas; Depoimentos (por ordem de entrada):Dinho, Ando, LG, Altair Martins, Hermano, José Júnior, Seu Nilson, Sambarilove, Luizinho, Luiz Fernando Lopes (Tekko), Márcia Florêncio, JB, Waly Salomão, Regina Casé, Caetano Veloso, Celso Athayde, Abacate, MC Playboy, Marcelo Red Bull, Flora Gil, Gilberto Gil, Marina Maggessi, André Cunha (Dongo), Denise Dora, Evandro João da Silva e Cirléia Menezes de Oliveira.
Duração: 150 minutos
Classificação indicativa: livre
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Junto com o show (dirigido por Cacá), faz parte do novo DVD do AfroReggae. O Documentário – dirigido em parceria com Rafael Dragaud – conta a história do grupo cultural AfroReggae, formado na favela carioca de Vigário Geral depois da chacina de 1993.

CURTAS-METRAGENS DIRIGIDOS POR CACÁ DIEGUES

CINEMA ÍRIS (1974)
Direção: Carlos Diegues. Produção: Aloísio Leite Filho. Fotografia: Dib Lufti e David Neves.
Duração: 9 minutos
Classificação indicativa: livre
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Documentário que retrata o tradicional Cinema Íris, a mais antiga sala de projeção de filmes do Rio de Janeiro, num período em que está ameaçado de desaparecer devido ao alargamento da rua da Carioca. O curta-metragem teve distribuição da Embrafilme.

A OITAVA BIENAL (1965)
Direção: Carlos Diegues. Produção: Carlos Diegues e Arnaldo Carrilho. Fotografia: Dib Lufti.
Duração: 20 minutos
Classificação indicativa: livre
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Documentário sobre a oitava edição da Bienal de São Paulo, maior mostra de artes da America Latina. Narração do poeta Ferreira Gullar.

OITO UNIVERSITÁRIOS (1967)
Direção: Carlos Diegues. Produção: Carlos Diegues e David Neves. Fotografia: David Neves. Montagem: Carlos Diegues e David Neves. Consultoria: Sergio Santeiro. Supervisão: Gilberto Velho.
Duração: 5 minutos
Classificação indicativa: livre
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Um registro da atividade política dos estudantes cariocas na década de 1960.

ESCOLA DE SAMBA, ALEGRIA DE VIVER (1962)
Direção: Carlos Diegues. Roteiro: Carlos Diegues (sobre argumento de Carlos Estevam). Direção de produção: Leon Hirszman e Marcos Farias. Assistente de produção: Ezequiel do Nascimento e Lídio Francisco da Costa. Gerência de produção: Eduardo Coutinho , Fernando Drummond e Ivan Sousa. Assistente de direção: Paulo Hutchmacher, Jayme Rodrigues e Fernando Duarte. Continuidade: Luiza Carlos Saldanha. Fotografia: Ozen Sermet. Assistência de fotografia: Luiz Paulo Pretti. Montagem: Ruy Guerra. Músicas: Escola de Samba Unidos do Cabuçu. Com: Oduvaldo Vianna Filho, Maria da Graça, Abdias do Nascimento, Jorge Coutinho e Creston Portilho.
Duração: 20 minutos
Classificação indicativa: livre
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Episódio do longa-metragem Cinco Vezes Favela, conta a história do sambista Gazaneu. Empossado presidente da escola de samba um mês antes do desfile, Gazaneu é pressionado pela esposa e por credores que exigem o pagamento de empréstimo feito para a concretização do desfile, cujo samba enredo é uma homenagem ao velho Rio de Janeiro boêmio. A mulher de Gazaneu participa da vida sindical e evita participar da escola, ao contrário do marido, que acha a escola de samba o centro da vida. O episódio foi produzido pelo Centro Popular de Cultura da União Nacional dos Estudantes o CPC da UNE. Cacá Diegues interpreta o cobrador.

PROGRAMA PARA TELEVISÃO FEITO POR CACÁ DIEGUES

UN SÉJOUR (1970)
País: França
Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Formato de exibição: Digital
SINOPSE: Uma colagem sobre a França e as impressões dos franceses sobre o país. Séjour significa temporada, em francês. Nascido dentro do projeto A França Vista por Cineastas Estrangeiros, o episódio foi produzido para o programa Panorama, um dos jornalísticos de maior audiência na TV francesa de então (com audiência média de 20 milhões de pessoas), para ser exibido no período de férias escolares. Cacá foi um dos seis realizadores convidados – ao lado de Jacques Goudebout (Canadá), Henrick Stangerupt (Dinamarca), Eugen Andrikanis (da então União Soviética), Robert Hughes (EUA) e Krsto Papic (Iugoslávia). Este Un Séjour reúne, de um lado, entrevistas com trabalhadores de diferentes origens e padrões sociais e, de outro, fragmentos de filmes franceses de cineastas com Jean Renoir, Jean-Luc Godard e François Truffaut.

Studio na Colab55
André Sobreiro
André Sobreiro

Jornalista, daqueles que acredita no momento mágico em que as luzes do cinema se apagam e o filme vira a realidade

Veja todos os posts de André Sobreiro
Comentários
Follow my blog with Bloglovin