Salada de Cinema

Notícias, entrevistas, perfis e muito mais de tudo que acontece no mundo do cinema.

Salada de Cinema
Críticas

Fragmentado

por Graciliano Marques comentários
Salada de Cinema

Quando se fala no nome do diretor M. Night Shyamalan, o primeiro filme que vêm à cabeça é, normalmente, o Sexto Sentido, não? Talvez o suspense mais recente do diretor de sucessos como A Vila, Sinais e Corpo Fechado, ou do épico fracasso A Dama na Água, venha a substituir essa referência.

Fragmentado (Split, 2016) conta a história de Kevin, interpretado por James McAvoy (jovem Professor Xavier em X-Man), que rapta três adolescentes e as mantém aprisionadas em cativeiro. Kevin não é um sequestrador “normal”, ele sofre de TDI – Transtorno Dissociativo de Identidade – doença mental que geralmente é desencadeada quando o cérebro tenta suprimir um grande trauma e a pessoa desenvolve uma personalidade diferente. No caso de Kevin, ele desenvolveu 23. Casey, interpretada por Anya Taylor-Joy (A Bruxa), é uma das adolescentes raptadas e mantidas em cativeiro por Kevin. Diferente de suas colegas de confinamento, Casey é a única que, após compreender o problema de Kevin, acredita que a melhor maneira de sobreviver é conversando com as diferentes personalidades que se apresentam, na tentativa de convencer uma delas a libertá-las. Mas nem todas as personalidades de Kevin são más, algumas delas tentam pedir ajuda à sua terapeuta, a Dra. Karen, interpretada por Betty Buckley (Carrie A Estranha, de 1976), terapeuta especializada em transtornos de personalidade, que é a única que sabe como controlar Kevin e suas múltiplas personalidades.

Com um roteiro bem elaborado, convincente e com um suspense na medida certa que te deixa, ao mesmo tempo, apreensivo e curioso com o que vai acontecer na próxima cena, tentando antecipar o próximo movimento do “vilão”, o grande destaque do filme vai para a incrível interpretação de McAvoy. James consegue, brilhantemente, interpretar as distintas personalidades no detalhe, seja mudando o tom e ritmo da voz, a postura e expressão corporal em cena, ou até a fisionomia, criando uma perfeita diferenciação entre cada uma de suas personalidades. E a jovem Anya consegue acompanhar o ator de igual para igual. Sua personagem também possui traumas do passado, que vão sendo apresentados em flashbacks perturbadores à medida que interações com as personalidades de Kevin são necessárias, como se fossem uma resposta imediata do organismo a uma ameaça, fazendo com que Casey busque na sua memória qual seria a melhor interação com a personalidade que se apresenta à ela, baseado em suas experiências de vida.

Fragmentado é um excelente filme de suspense psicológico que coloca Shyamalan de novo nos holofotes de hollywood, e que poderia muito bem levar McAvoy a uma indicação ao Oscar pela excelente atuação. E o que dizer da cena final? Muitas teorias já estão recheando a internet, e Shyamalan já comentou da possibilidade de uma sequência. Para quem é fã do diretor, só resta torcer.

Assista ao trailer de ‘Fragmentado’:

Studio na Colab55
Graciliano Marques
Graciliano Marques

O que eu quero mais é ser Rei e ver o mundo voando num tapete mágico. Geração Disney de clássicos do Cinema. Publicitário de terno e crítico espectador. Faz sentido?

Veja todos os posts de Graciliano Marques
Comentários
Follow my blog with Bloglovin