Salada de Cinema

Notícias, entrevistas, perfis e muito mais de tudo que acontece no mundo do cinema.

Salada de Cinema
Colunas

cine mundo: Romeu e Julieta made in Vanuatu

por Caio Cesar comentários

Entre tantos filmes que assisti em 2016, Tanna com certeza foi o que mais me tocou e surpreendeu positivamente por ser diferente de tudo que vi no cinema nos últimos anos. Filmado em uma remota ilha ao sul do Pacífico (Vanuatu, também conhecida como Tanna), o longa conta com um elenco formado inteiramente por nativos da tribo de Yakel que retratam uma história baseada em fatos reais que se assemelha muito com o clássico romance Romeu e Julieta.

Contudo, para alcançar tamanho sucesso e dirigir com maestria um elenco tão inexperiente, Bentley Dean e Martin Butler passaram sete meses vivendo com a tribo Yakel. E foi durante esses meses de convivência que os diretores descobriram a trágica história de amor que havia se passado ali no ano de 1987. A partir das informações dadas pelos habitantes da tribo, foi escrito um roteiro em estreita colaboração com o Yakel.

Salada de Cinema

A trama conta a história de Wawa, uma jovem que se apaixona pelo neto do chefe da sua tribo, Dain, mas é impedida de viver esse amor. Tudo parece caminhar para que os dois terminem juntos, porém toda esperança é perdida quando um conflito entre tribos rivais estoura após o xamã de Yakel (albi Nangia) ter sido atacado por membros da tribo Imedin. Para evitar uma guerra maior entre as tribos, Wawa é prometida a um homem da tribo rival como símbolo de trégua.

A partir daí o filme torna-se um intenso suspense focado na fuga dos dois amantes, afinal a vida deles foi colocada em risco ao desafiar as rígidas leis tribais. Tudo é válido para viver essa paixão arrebatadora, até buscar refúgio em uma comunidade formada por ex-habitantes de tribos que deixaram suas tradições de lado e adotaram o modo de vida ocidental.

Salada de Cinema

O filme toma rumos imprevisíveis e encerra com uma sequência de cenas fascinantes, quando Wawa e Dain encontram abrigo ao pé na boca de um vulcão ativo. De acordo com as crenças locais, o vulcão é o lar de Yahul, um Espírito Materno cuja aura ensina a sabedoria, respeito e conhecimento. Nesse momento somos envolvidos por imagens deslumbrantes do casal em plena comunhão e logo entendemos que um final trágico está à espreita.

Tanna foi exibido no 72° Festival de Cinema de Veneza, onde ganhou o Prêmio do Público Pietro Barzisa. Bentley Dean foi premiado como Melhor Diretor de Fotografia no BFI Festival de Cinema de Londres e no Adelaide Film Festival (2015).

Studio na Colab55
Caio Cesar
Caio Cesar

"Filme grego de novo, Caio?" Sim, eu sou desses mesmo. Um curioso definitivo pelo cinema. Se não for grego, vai ser tcheco, japonês, italiano ou francês, e se reclamar, vai ser iraniano! Pra mim, cinema é espelho, retrato e sequela.

Veja todos os posts de Caio Cesar
Comentários
Follow my blog with Bloglovin