Salada de Cinema

Notícias, entrevistas, perfis e muito mais de tudo que acontece no mundo do cinema.

Salada de Cinema
Colunas

cine curta: Festival Internacional de Curtas de SP

por Marcio Miranda Perez comentários

festival-internacional-de-curta-metragens-de-sao-paulo

Tenho andado afastado desta coluna, mas por um motivo digno: estava em plena produção do maior evento dedicado ao curta-metragem na América Latina, que começa para o público nesta sexta, dia 24: o Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo.

Além de filmes premiados como o turco Silêncio – Palma de Ouro em Cannes – e Rafa, de Portugal (Urso de Ouro em Berlim), o Festival destaca tanto suas mostras tradicionais (Internacional, Latino-Americana, Brasil e Paulista) como os programas especiais criados este ano. Comemoramos os 20 anos da Universidad del Cine de Buenos Aires, tradicional escola de cinema que vem atraindo estudantes latinos e europeus (o português João Salaviza, diretor de Rafa, estudou lá) e tem emplacado pelo menos um filme todos os anos no Festival de Cannes. O Festival também contará com a presença do performer, curador, restaurador e cineasta francês Serge Bromberg, que se apresenta ao vivo no piano criando a trilha para os filmes da mostra Retour de Flamme, com algumas pérolas de seu acervo composto por mais de 40 mil rolos de películas antigas – filmes e trechos de filmagens que ele reúne em sua produtora, a Lobster Films, há mais de 20 anos.

Kinoforum vinheta 23º Curta Kinoforum – Festival Internacional de Curtas-Metragens de SP 2012 from Kinoforum on Vimeo.

Grandes atores também estarão nas telas dos filmes brasileiros. Fernanda Montenegro é a protagonista de A dama do Estácio, do carioca Eduardo Ades, no papel de uma velha prostituta que um dia acorda obcecada com a idéia de que vai morrer. Osmar Prado está em Amores Passageiros, do gaúcho Augusto Canani. Ele é um limpador de bueiros que encontra o corpo de uma mulher e decide levá-lo para casa. Hermila Guedes é a mãe de Quinha, no filme homônimo de Caroline Oliveira, diretora paulista que mora em Nova York e filmou em Pernambuco.

Cineastas de carreira já consagrada em longa-metragem voltam ao curta, como é o caso de Jorge Furtado, que com seu trabalho Até a vista mostra um jovem cineasta à procura de uma história para seu primeiro longa. Claudia Llosa, diretora peruana dos longas Madeinusa e La Teta Asustada, faz em Loxoro uma incursão pelo universo marginal dos travestis de Lima. O filme de Llosa estará presente tanto na Mostra Latino-Americana como no programa especial Homofobia – Os Outros Somos Nós, que propõe uma reflexão sobre a violência física e psicológica contra a comunidade LGBTT.

Há mais de 350 razões para acompanhar o Festival de Curtas. No site do evento (http://www.kinoforum.org.br/curtas/2012/) está publicada a programação completa, com horários, fotos e trailers dos filmes. A entrada é franca para todas as salas: Cinemateca Brasileira, CineSesc, Espaço Itaú Augusta, MIS, Cine Olido e Cinusp. Nos vemos lá!

Comentários